segunda-feira, 26 de setembro de 2016

A Comissão Europeia lança consulta pública sobre a Directiva Máquinas (2006/42/EC)!


"The Machinery Directive aims to facilitate the functioning of the internal market for machinery while ensuring a high level of health and safety protection for machinery users (workers, consumers and other exposed persons) as well as environment protection for machinery used in pesticide applications. It defines mandatory essential health and safety requirements for machinery placed on the ma...rket or put into service within the EU (expressed by means of CE marking), and sets out requirements for associated conformity assessment, monitoring and enforcement procedures.
Examples of products covered by the Machinery Directive include small hand held power tools, gardening machinery, construction machinery, industrial robots, etc."

Para aceder à consulta pública e participar: https://ec.europa.eu/eusurvey/…/MachineryDirectiveEvaluation

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

“Implementing psychosocial risk management in industrial SME’s: What does practice tells us?”


“Implementing psychosocial risk management in industrial SME’s: What does practice tells us?” trabalho de autoria de Cláudia Fernandes (CATIM) & Anabela Pereira que foi apresentado na 25th EPICOH Occupational Health: "Think globaly, act locally", uma das maiores e mais prestigiadas conferências mundiais na área da Epidemiologia.

Resumo do trabalho:

It’s widely recognised the impact of psychosocial exposure for the promotion of healthy workplaces. Knowing that European industry is mainly constituted by SMEs, and that SMEs are faced as key players for economic and sustainable growth, innovation, employment and social integration, undertaking and managing psychosocial exposure in SMEs is an urgent need. The main objective of this work is to present and discuss the main constrains faced by SMEs when implementing Occupational Health and Safety (OH&S) management systems that encompass psychosocial risks.
This work is based on interventions at the workplace that occurred between the years 2010 and 2015 in Portuguese metalworking SMEs: i) 21 OH&S management systems implementation; ii) 37 OH&S audits.
From the current work the authors make some assumptions: i) the transposition of European Directives, namely Council Directive 89/391/EEC to European country laws enhanced the awareness of SMEs for the need of OH&S management, namely concerning psychosocial risks; ii) the integration of evidence into practice is potentiated by the application of standards to the workplace or other still methodologies;  iii)The methodologies must be tailored according to the SMEs specificities, namely size, industrial sector, culture, etc.; iv) The approach to psychosocial risk management in SMEs must start with a structured and modest approach and evolve continuously to more mature systems; v)The full potential for dealing and managing psychosocial risk cannot by achieved without developing additional control methods – concerning for example auditing practices, and continual improvement techniques.

http://www.epicoh2016.org/

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Normalização CATIM, próximas reuniões!

O CATIM é um dos maiores Organismos de Normalização Sectorial do País, coordenado 14 comissões técnicas de normalização (ver aqui) e acompanha dezenas de comités técnicos e grupos de trabalho europeus e internacionais!
Já imaginou um mundo sem a normalização? Não...não é possível...

Próximas reuniões das CT´s:
 
CT 12 SC 7 “ Aços e Ferros Fundidos – Armaduras de aço para betão armado e pré-esforçado”  - 21 de Setembro (CATIM – Lisboa)
 
CT 178 GT 4 “Ventilação de edifícios com aparelhos a gás - Edifícios com aparelhos a gás. Instalação e ventilação de cozinhas profissionais” – 22 de Setembro (IPQ-Lisboa)
 
CT 130  “ Plataformas Elevatórias” – 05 de Outubro (CATIM – Porto)
 
CT 18 “ Elementos de Tubagem, Tubos Válvulas e Acessórios”– 04 de Novembro (CATIM – Porto)
 
 
Reunião Internacional no CATIM Porto:
 
ISO/TC 199/WG12 “Human-machine-interactions”  – 20 e 21 de Outubro no âmbito dos trabalhos da CT 40 – “Máquinas-Ferramenta” (CATIM – Porto)
 

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Prevenção de Acidentes de Trabalho, Campanha Ibérica 2016 / 2017


A redução dos acidentes de trabalho constitui um dos objetivos estratégicos do Quadro Estratégico Europeu para a Segurança e Saúde no Trabalho 2014 – 2020, bem como das Estratégias de Segurança e Saúde no Trabalho de Espanha e de Portugal.
A nível europeu e, concretamente, em Portugal, continuam a verificar-se elevados índices de sinistralidade laboral que impõem a adoção de medidas que contribuam para a sua diminuição, bem como para a melhoria das condições de vida e de trabalho dos trabalhadores e, simultaneamente, contribuam para o desenvolvimento de empresas mais competitivas.
Importa sensibilizar todos os interlocutores do mundo laboral e da sociedade civil em geral para o número de pessoas que morrem ou ficam gravemente feridas quando estão a trabalhar e para a premência da interiorização, por todos, de uma verdadeira “cultura de prevenção” no trabalho, que passe, nomeadamente, pela implementação nos locais de trabalho de sistemas de gestão de segurança e saúde eficazes.
Fonte e mais informações: aqui

terça-feira, 13 de setembro de 2016

COMPETE 2020 - SI Qualificação das PME, candidaturas até 31 de Outubro!


COMPETE 2020
SI Qualificação das PME
Aviso N.º 18/SI/2016

"Reforço das capacidades de organização e gestão das PME, incluindo, o investimento em desenvolvimento das capacidades estratégicas e de gestão competitiva, redes modernas de distribuição e colocação de bens e serviços e a utilização de TIC"
"Qualificação específica dos ativos em domínios relevantes para a estratégia de inovação, internacionalização e modernização das empresas, de modo a potenciar o desenvolvimento de atividades produtivas mais intensivas em conhecimento e criatividade e com forte incorporação de valor acrescentado nacional"

Prazo para apresentação de candidaturas:
29 de Julho a 31 de Outubro de 2016

Conte com o CATIM para apoiar a sua empresa no enquadramento do seu projecto neste tipo de incentivos!

Mais informações: http://www.poci-compete2020.pt/concu…/detalhe/AAC_18-SI-2016

Contactos CATIM: catim@catim.pt; telefone 226 159 000


Despesas elegíveis
a) Aquisições para aplicação de novos métodos organizacionais:
         i.            Equipamentos na medida em que forem utilizados no projeto;
       ii.            Software relacionado com o desenvolvimento do projeto;
      iii.            Custo com a contratação de um máximo de dois novos quadros técnicos por projeto, com nível de qualificação igual ou superior a 6, nos termos definidos no anexo II da Portaria n.º 782/2009, de 23 de julho, na medida em que forem utilizados no projeto e durante a execução do mesmo;
b) Participação em feiras e exposições no exterior:
         i.            Custos com o arrendamento de espaço, incluindo os serviços prestados pelas entidades organizadoras das feiras, nomeadamente os relativos aos consumos de água, eletricidade, comunicações, inserções em catálogo de feira e os serviços de tradução/intérpretes;
       ii.            Custos com a construção do stand, incluindo os serviços associados à conceção, construção e montagem de espaços de exposição, nomeadamente aluguer de equipamentos e mobiliário, transporte e manuseamento de mostruários, materiais e outros suportes promocionais;
      iii.            Custos de funcionamento do stand, incluindo os serviços de deslocação e alojamento dos representantes das empresas e outras despesas de representação, bem como a contratação de tradutores/intérpretes externos à organização das feiras;
c) Serviços de consultoria especializados, prestados por consultores externos, relacionados com:
         i.            Prospeção e captação de novos clientes, incluindo missões de importadores para conhecimento da oferta do beneficiário;
       ii.            Ações de promoção realizadas em mercados externos, designadamente assessoria de imprensa, relações públicas, consultoria de mercado e assistência técnica à preparação de eventos.
      iii.            Campanhas de marketing nos mercados externos, que compreende a contratação de serviços nas áreas de mailing e telemarketing, publicidade e meios de comunicação especializados;
     iv.            Custos com a intervenção de Técnicos Oficiais de Contas ou Revisores Oficiais de Contas, na validação da despesa dos pedidos de pagamento até ao limite de 5.000 euros por projeto;
       v.            Assistência técnica, estudos, diagnósticos e auditorias;
     vi.            Custos com a entidade certificadora e com a realização de testes e ensaios em laboratórios acreditados;
    vii.            Custos de conceção e registo associados à criação de novas marcas ou coleções;
  viii.            Custos iniciais associados à domiciliação de aplicações, adesão inicial a plataformas eletrónicas, subscrição inicial de aplicações em regimes de “software as a service”, criação e publicação inicial de novos conteúdos eletrónicos, bem como a inclusão ou catalogação em diretórios ou motores de busca;
d) Obtenção, validação e defesa de patentes e outros custos de registo de propriedade industrial;
e) Formação de recursos humanos com as seguintes despesas elegíveis, de acordo com a natureza e limites previstos em diploma próprio:
         i.            Custos do pessoal, relativos a formadores, para as horas em que os formandos participem na formação;
       ii.            Custos de funcionamento relativos a formadores e formandos diretamente relacionados com o projeto de formação, como despesas de deslocação, material e fornecimentos diretamente relacionados com o projeto e amortização dos instrumentos e equipamentos, na medida em que forem exclusivamente utilizados no projeto de formação em causa;
      iii.            Custos de serviços de consultoria associados ao projeto de formação, no caso dos projetos de formação-ação, os custos de serviços de consultoria associados ao diagnóstico do plano de formação;
     iv.            Custos do pessoal, relativos a formandos, e custos indiretos gerais, relativamente ao número total de horas em que os formandos participam na formação.
f) Custos salariais com a contratação de recursos humanos altamente qualificados nas empresas, incluindo o salário base, até ao limite máximo definido no aviso para apresentação de candidaturas ou em orientação técnica, e os encargos sociais obrigatórios, mediante celebração de contrato de trabalho com a duração máxima de 36 meses.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

CATIM participou na AHFE 2016 - 7ª International Conference on Applied Human Factors and Ergonomics


Esta importante conferência internacional  AHFE 2016 que já tem a sua próxima edição marcada para 2017, realizou-se no passado mês de Julho em Orlando, Florida (EUA), com a participação de mais de 1600 pessoas.  Foram submetidos 5326 trabalhos oriundos da Academia, Instituições de Investigação e da Indústria provenientes de 62 países, apresentados 1537 papers em 255 sessões paralelas e expostos 266 posters... Os números impressionam...

O Catim marcou presença com a apresentação do trabalho "Human Robot interactions: Mechanical safety data for phisical contacts" na sessão paralela "Suporting Sensor and UAV (Unmanned Aerial Vehicles) Users" .


Abstract : "Human robot interactions: Mechanical safety data for phisical contacts", Alberto Fonseca (CATIM) e Cláudia Pires (CATIM).
 
In a world that relies heavily on technology, the industry invests heavily to developing solutions that focus on the positive interaction between people and machines and the isolation of physical or immaterial infrastructure as a method of protection.
An approach based on strategy must be followed to change the paradigm of human machine interaction, researchers must look to the machine as a co-worker and as such it may not pose a risk to other colleagues.
So the challenge for designers and machine developers must therefore turn to "minimization of force" as a key to reach the safety of the machine / equipment. However, what exactly does this mean and can it be defined in a way that is generally applicable to all machines without creating unreasonable and impractical constraints? Is it possible to apply it in an ‘uncontrolled’ environment where ordinary people are exposed to machines? And how can it deal with robotic or autonomous systems which create the additional complexity of unpredictable or unexpected interactions?
Considering these questions and having into account that existing data about this issue is scattered, focused in specific applications and cannot easily be transferred to different or more complex applications the International Technical Committee for Standardization ISO/TC 199 – Safety of machinery decided to create a Study Group – ISO/TC 199 SG01 - with a purpose of prepare an International Standard that would support the design, development and use of machines that will interact with people.
The Study Group has defined the following work phases: identify information and data on the subject in other fields; definition of parameters to be considered when designing a machine (speed, power, contact dimensions, contact location, geometry, etc.); identify possible solutions centered on human-robot interaction and considers broader aspects, such as human behavior a towards collaboration with robotic systems.
The Group has already proposed the approach to define Safe Contact and introduced these two essential aspects: risk level and machine complexity.
Now, the project transcended of possible contribution to an effective creation of norm. Perspective to future meetings to will be identify the most relevant aspects to be included in this framework as the definition of contact forces against a set of different parameters.



Algumas notas sobre a conferência:


1ª: A interacção Humanos – Robôs

Foram apresentadas diversas comunicações sobre investigações em curso neste domínio, quer em ambiente industrial, quer em ambiente não industrial (ambientes públicos e privados). O tema está claramente na ordem do dia e confirma a tendência na proliferação a nível global de robots colaborativos.


2ª A interacção Humanos – Robôs na aeronáutica

Os UAV (Unmanned Aerial Vehicles) são cada vez mais utilizadas em missões geológicas, militares, captação de imagem, informação geográfica, etc. De referir que as investigações são muito dirigidas para a aplicação do comando por voz, comando por linguagem gestual, visando habilitar qualquer pessoa a comandar este tipo de aeronaves. Também é de salientar a intervenção do “robô” (neste caso entenda-se “sistema de comando” – “Decision making”) no controlo de aeronaves sobretudo como garantia de tomada de decisões que visem a manutenção da aeronave em segurança quando, em determinadas circunstâncias e num determinado período de tempo, a reacção esperada dos pilotos não acontece.
 
3ª Universal Design
A Princesa do Japão Yohko of Mikasa introduziu numa conferência plenária, o conceito do “Universal Design”. Trata-se de um movimento, que parece estar a ganhar dimensão a partir do Japão, cujo objectivo é divulgar e por em prática o “Design para todos”, tendo em conta a adequação não às necessidades “massificadas” das pessoas mas às particularidades de cada grupo de pessoas conjugadas com as respectivas circunstâncias em que se encontram. Sobre este aspecto, a Panassonic apresentou uma série de exemplos já existentes no mercado ou a serem comercializados a curto prazo, que facilitam a vida de cada um em situações anormais ou de emergência (lâmpada sem ligação à rede, lanterna multifunções de muito fácil utilização, aspirador ultraleve com iluminação frontal). Foi realçado que este conceito de "Universal Design" teve um impulso importante na sequência das catástrofes naturais a que o Japão esteve recentemente sujeito.

Elaboração do post: colaboração de Alberto Fonseca

Metodologia 5 S's, formação, 21 de Setembro!


Mais informações e inscrições: aqui

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

CATIM na Proteger 2016!

http://proteger.pt/entrada/
Cláudia Fernandes do CATIM vai intervir nesta importante conferência com a intervenção "Capacidade para o trabalho: Apreciação de riscos psicossociais na indústria, um estudo no sector metalúrgico e metalomecânico".
O tema desta apresentação baseia-se no trabalho de investigação efectuado sobre a realidade do Sector Metalúrgico e Metalomecânico e no âmbito do doutoramento da Doutora Cláudia Fernandes (orientação científica da Professora Doutora Anabela Pereira e coorientação do Professor Carlos F. Silva da Universidade de Aveiro), trabalho inovador e que servirá de orientação futura para o estabelecimento de estratégias facilitadoras de integração de prácticas de gestão dos riscos psicossociais na indústria.
O CATIM enquanto centro tecnológico sectorial e a AIMMAP, associação empresarial representativa do sector, conscientes da mudança acelerada da indústria  com a adopção de novas tecnologias, novas formas de trabalho e novos modelos de negócio, e conscientes da importância crescente deste tema na competitividade e sustentabilidade, apoiaram desde a primeira hora este importante trabalho de investigação e congratulam-se com os resultados alcançados.
 
Programa: aqui

Workshop - Implicações do reach ao Nível do Utilizador a Jusante, 20 de Setembro!


Mais informações e inscrições: aqui

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Blue Guide, nova versão!



Foi recentemente publicada mais uma versão actualizada do 'Blue Guide', documento  que se tornou uma referência enquanto guia de implementação da legislação comunitária de harmonização (Marcação CE, Directivas e Regulamentos).
Inicialmente editado em 2000 e baseado na Nova Abordagem (New Approach and the Global Approach) é revisto regularmente de modo a reflectir a modernização legislativa decorrente do Novo Enquadramento Legal (New Legislative Framework) em vigor desde a década passada

O presente Guia destina-se a contribuir para uma melhor compreensão da legislação da UE em matéria de produtos e para a sua aplicação mais uniforme e coerente em diferentes setores e em todo o mercado único. O Guia destina-se aos Estados-Membros e a outras partes interessadas que tenham necessidade de conhecer as disposições destinadas a assegurar a livre circulação de produtos, bem como um elevado nível de proteção em toda a União (p. ex., associações comerciais e de consumidores, organismos de normalização, fabricantes, importadores, distribuidores, organismos de avaliação da conformidade e sindicatos).

MSA - Measurement System Analysis, formação, 20 de Setembro!


Mais informações e inscrições: aqui

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Ideas for a European Innovation Council - Overview of Responses to the Call for Ideas.



Os resultados da consulta para a criação de um Conselho Europeu de Inovação já podem se conhecidos em  Ideas for a European Innovation Council - Overview of Responses to the Call for Ideas.

Esta consulta pública, lançada pelo Comissário Carlos Moedas, responsável pela política Europeia de Investigação e Inovação, decorreu de 16 de Fevereiro a 29 de Abril deste ano, tendo sido recebidas 1022 respostas de 46 Países, das quais 40% são provenientes de organizações de investigação, 35% de empresas (predominantemente PME), 11% de organismos públicos e as restantes de associações, entidades financeiras e de cidadãos. Portugal encontra-se no Top 10 dos países que mais participaram nesta consulta.

Mais de 80% dos participantes concordam que a falta de inovação disruptiva orientada para o mercado é um obstáculo ao crescimento e à criação de emprego, e cerca de 75% considera que ainda existem “lacunas” no atual apoio da UE à inovação.
Continua a ser difícil para as PME tirar pleno partido das ajudas existentes, devido à complexidade e morosidade dos procedimentos. Os inquiridos consideram ainda que, um eventual Conselho Europeu de Inovação deve ter um papel de aconselhamento estratégico para a UE e governos nacionais, no que se refere a temas como, regulamentação, “mentoring” e “coaching”, incubação de ideias, intermediação, criação de redes, novos instrumentos de financiamento, promoção de uma cultura de inovação, comercialização da inovação e reforço da cooperação entre as universidades e as empresas.

Colaboração neste post: Vânia Pacheco (Catim)

SPC / CEP e Ferramentas da Qualidade, BRAGA, 12 e 14 de Setembro!


mais informações e inscrições: aqui